Rio Grande do Sul é o 2º no ranking nacional em microgeração de energia solar

O Rio Grande do Sul apareceu em segundo lugar no ranking nacional de potência instalada em sistemas de microgeração e minigeração solar no último mapeamento feito pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). A posição inclui indústrias, comércios, empresas, casas, zonas e produtores rurais, bem como edifícios públicos.

O Estado do Rio Grande do Sul ganhou, em média, 4,4 novos pontos por dia no ano passado. Agora, em 2018, o número chegou a sete. Até o dia 19 de abril deste ano, eram 3.182 conexões no Estado, sendo apenas 10 de outras fontes renováveis como, por exemplo, a energia eólica. A região Sul do Brasil possui uma radiação global média de 5,2 Kwh/m².

A energia solar fotovoltaica é a fonte de energia alternativa que mais cresce no Rio Grande do Sul e a busca de consumidores interessados em gerar energia através da luz solar aumentou no Estado. Há cinco anos atrás, a produção era praticamente inexistente – apenas 6 quilowatts (kW). Já neste ano, a potência chegou a 31,7 mil kW em março.

Apesar de alguns relacionarem a energia solar apenas como uma fonte não prejudicial ao meio ambiente, a vantagem econômica, atualmente, é a que mais atrai consumidores para a geração distribuída. Neste modelo, o próprio consumidor gera a sua energia e, em períodos de menor demanda, fornece o excesso para a rede, obtendo créditos que são abatidos na conta de energia. Outra vantagem é que o Rio Grande do Sul isenta de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) a energia produzida nessa modalidade.

A energia solar é gerada através de grandes usinas e também por pequenos sistemas instalados e conectados à rede elétrica. No entanto, na modalidade de geração distribuída, o Rio Grande do Sul se tornou uma referência, assim como Minas Gerais. O Rio Grande do Sul possui, aproximadamente, cerca de 4 mil sistemas, totalizando 46 mil kW.  Logo atrás de Minas Gerais e Rio Grande do Sul, está o Estado de São Paulo, com 37 mil kW instalado de potência na geração distribuída.

O Estado do Rio Grande do Sul possui boa irradiação solar. A segunda edição do Atlas Brasileiro de Energia Solar, publicada em 2017, mostra que a região Sul tem níveis maiores aos da região Norte, ou seja, o Rio Grande do Sul tem boa capacidade para energia solar mesmo com as baixas temperaturas que o Estado apresenta, portanto, essa condição não interfere na geração, pois a energia solar não se dá pelo calor.

Confira qual foi a primeira usina de energia solar inaugurada no Rio Grande do Sul! A energia solar é uma fonte de energia limpa, alternativa e econômica. Existem muitos projetos com energia solar fotovoltaica no Estado, por exemplo: uma estação de energia solar foi instalada na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Algumas cidades do interior do Rio Grande do Sul também estão investindo em energia solar.  Observa-se, assim, que o crescimento desta fonte está realmente acelerado e constante.

Se você deseja obter energia solar fotovoltaica através de placa solar ou painel solar, nós do Portal Solar ajudamos pessoas e empresas a conseguirem um financiamento para energia solar. Solicite um orçamento conosco e encontre as melhores soluções do mercado e os fornecedores mais qualificados em captação de energia solar.

Fonte: Portal Solar