ENEL INAUGURA MAIOR USINA GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR DO PERU

A Enel, através de sua subsidiária peruana de energia renovável Enel Green Power Peru (EGPP), iniciou as operações da usina solar fotovoltaica Rubi de 180 MV, a maior usina solar no Peru e a primeira da Enel no país. A empresa investiu em torno de 170 milhões de dólares na construção de Rubi. O projeto faz parte dos investimentos definidos no atual plano estratégico da empresa. A planta está localizada na cidade de Moquegua, província de Mariscal Nieto e é financiada,  em parte,  através dos recursos próprios do Grupo Enel e em parte pelo Banco Europeu de Investimento. A usina é apoiada por um acordo de compra de energia de 20 anos assinado com o Ministério de Energia e Minas do Peru. Uma vez em operação total, Rubi será capaz de gerar em torno de 440 GWh por ano, que serão entregues ao Sistema Interligado Nacional do Peru, através da subestação de Montalvo.

A Enel conquistou o PPA que apoia o projeto em 2016, ano seguinte ao leilão de energia renovável pública lançado pela reguladora de energia OSINERGMIN. Com a conclusão de outros dois projetos concedidos no leilão junto com Rubi – o parque eólico Wayra I de 132 MW e a usina hidroelétrica Ayanunga de 20 MW – a EGPP irá tornar-se o principal agente de energia renovável do Peru, bem como a única empresa no país operando usinas com três diferentes tipos de tecnologias renováveis. O Grupo Enel está presente no setor de geração peruano através da EGPP, assim como da Enel Generación Perú e Enel Generación Piura, que conta com uma capacidade instalada combinada de cerca de 2 GW. O Grupo também opera no setor de Distribuição do país através da Enel Distribución Perú, que atende a 1,4 milhões de clientes na região de Lima. Antonio Cammisecra, Responsável pela Enel Green Power, disse que “A inauguração da maior usina solar fotovoltaica do Peru é exemplo do nosso compromisso em reforçar o desenvolvimento de energias renováveis no país, contribuindo para a diversificação de seu mix de geração e aumentando a produção de energia através de fontes limpas na região Sul do Peru em 12%. O início de funcionamento da Rubi pouco mais de um ano depois do começo da construção fortalece nossa ambição em continuar crescendo no Peru e aproveitar o grande potencial renovável do país”.

Fonte: PetroNotícias