China vai ser o maior importador de petróleo

Eddie Seal/Bloomberg / Eddie Seal/Bloomberg

Eddie Seal/Bloomberg / Eddie Seal/Bloomberg

A China deverá ultrapassar os Estados Unidos como maior importador de petróleo do mundo até 2014, segundo afirmou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Essa é a mais nova evidência de que o boom de óleo e gás de xisto nos EUA está revolucionando os mercados de energia do planeta.

“Com o boom de xisto (…) ameaçando reduzir drasticamente as necessidades de petróleo importado dos Estados Unidos, a China deverá passar a ocupar o lugar de importador número um”, afirmou a Opep em um relatório publicado nesta semana em seu website.

A Opep, cujos países-membros fornecem mais de um em cada três barris de petróleo consumidos em todo o mundo, afirmou que as crescentes importações da China estão sendo acompanhadas por um também crescente aumento na capacidade de processamento das refinarias no país.

A organização citou analistas que dizem que as importações de petróleo da China devem atingir 6 milhões de barris por dia neste ano. Enquanto isso, a Energy Information Administration (EIA), órgão do governo americano com sede em Washington, estima que as importações de petróleo dos EUA devem ficar abaixo desse patamar já em 2014.

As mudanças já estão em andamento em ambos os países. Em dezembro, a China importou em média 5,57 milhões de barris por dia, uma alta de 8% em relação ao ano anterior, disse a Opep.

Segundo a EIA, os EUA importaram 7,95 milhões de barris de por dia em janeiro, uma queda de 8% em relação a agosto passado.

Os EUA detém a posição de maior importador de petróleo desde os anos 70, quando a produção interna começou a cair.

Num relatório de novembro, a Agência Internacional de Energia (AIE), que reúne os países importadores, previu que os EUA se tornarão o maior produtor mundial de petróleo até 2020, e que a América do Norte se tornará exportadora dez anos mais tarde.

 Fonte: Valor Econômico/Benoit Faucon | The Wall Street Journal, de Londres